São Paulo 2018: da expectativa de título para a rotina de empates

4 dez

Por Gabriel Duque

O torcedor do São Paulo pode lamentar o fim de ano melancólico do clube. Por mais de uma vez, o Tricolor desperdiçou a chance de somar pontos preciosos na briga pelo G-4 e pela vaga direta na Libertadores. Mas não foram só as derrotas para o Vasco e para a Chapecoense, o empate com o Sport, no Morumbi, e a queda de desempenho em campo que atrapalharam as pretensões do time. Também não se deve culpar a troca de treinador na reta final pelas escorregadas. Mas o que aconteceu então para desandar o caldo?

Uma resposta em números, sem maiores avaliações, é taxativa: o excesso de empates. A equipe acostumou-se com as igualdades, às vezes arrancando pontos que pareciam perdidos no jogo e, por vezes, deixando pontos valiosos pelo caminho em partidas contra adversários mais fracos.

A constatação, claro, não leva em conta as lesões, a falta de repertório ofensivo, o elenco curto, as mudanças táticas que não funcionaram e o fato do time chegar a um patamar inesperado durante a competição. Já que nem a liderança, muito menos o título, eram os objetivos almejados no começo.

sao paulo evertonPorém, se tornaram palpáveis com um futebol competitivo, jogadores aguerridos e vitórias importantes. Por exemplo: contra o Flamengo, no Maracanã, o Cruzeiro, em Minas, e o Corinthians, no Morumbi, por 3 a 1. No entanto, o sonho acabou ficando apenas na ilusão tanto para torcedores quanto para jogadores, comissão técnica e dirigentes.

Os tropeços vieram, foram acontecendo e se sucederam. Assim, o Tricolor caiu do primeiro até o quinto lugar. Por isso, a luta pelo G-4 foi o que restou. Mas, no fim, nem essa meta foi atingida. Ao olhar para a tabela de classificação, o São Paulo acumulou apenas sete derrotas – só o líder Palmeiras perdeu menos (4 derrotas). Logo, os problemas foram realmente os empates.

O número exagerado de igualdades (15) é algo a se pensar. Desse total, 8 foram no Morumbi, desperdiçando muitos pontos em casa. As igualdades também comprovam a derrocada do rendimento do Tricolor, com 10 empates em 19 jogos só no segundo turno.

sao paulo jardine

Então, a lição fica para a próxima edição do Campeonato Brasileiro. Não se acomodar com empates ou se acovardar nessas situações. Empatar é não sair do lugar. Se trocar três empates por duas vitórias e uma derrota, o time pode ter três pontos a mais. E, para o São Paulo, foram muitas oportunidades de mudar esse panorama no placar.

Confira os empates do São Paulo no Brasileirão 2018:
2ª rodada – Ceará 0 x 0 São Paulo (De bom tamanho. Abdicou de jogar e se contentou com o empate)
3ª rodada – Fluminense 1 x 1 São Paulo (Poderia ter vencido. Tomou empate no fim)
4ª rodada – São Paulo 2 x 2 Atlético-MG (De bom tamanho. Saiu na frente, permitiu a virada já depois dos 30 minutos do segundo tempo e precisou buscar o empate)
5ª rodada – Bahia 2 x 2 São Paulo (Poderia perder. Achou o empate no fim com um golaço de Shaylon)
10ª rodada – São Paulo 0 x 0 Inter (De bom tamanho. Deveria ter buscado mais a vitória. Enfrentou um adversário direto em casa e faltou ousadia)
20ª rodada – Paraná 1 x 1 São Paulo (Poderia vencer. Levou o empate e não conseguiu furar a defesa do lanterna da competição. Resultado muito lamentado)
22ª rodada – São Paulo 1 x 1 Fluminense (Poderia ter perdido. Com um a menos e atrás do placar, encontrou um empate)
25ª rodada – Santos 0 x 0 São Paulo (Poderia ter perdido. Ficou acuado a maior parte do tempo)
26ª rodada – São Paulo 1 x 1 América-MG (Poderia vencer. Tomou gol no fim do jogo contra um time em baixa e dentro de casa)
27ª rodada – Botafogo 2 x 2 São Paulo (Poderia vencer. Foi buscar o empate duas vezes e teve boas chances no fim)
30ª rodada – São Paulo 0 x 0 Atlético-PR (De bom tamanho. Depois de perder para Palmeiras e Inter, ficou devendo e não mostrou força)
32ª rodada – São Paulo 2 x 2 Flamengo (De bom tamanho. Esteve na frente duas vezes, mas não segurou o resultado e ainda sofreu pressão)
33ª rodada – Corinthians 1 x 1 São Paulo (Deveria perder. Com erros de arbitragem e jogador a mais, foi muito mal e teve postura totalmente apática)
34ª rodada – São Paulo 1 x 1 Grêmio (De bom tamanho. No primeiro jogo de André Jardine como técnico, o time melhorou, mas não o suficiente para vencer)
37ª rodada – São Paulo 0 x 0 Sport (Deveria ter vencido. Nenê perdeu pênalti e o time ainda acertou uma bola na trave)

De acordo com este pequeno scout, o time teria menos nove empates, sendo mais 5 vitórias e 4 derrotas. No total, seriam mais seis pontos na tabela. Com isso, o São Paulo teria terminado o torneio na terceira colocação.

Tite-DT-campeón-CORINTHIANS-CAMPEON-COPA-LIBERTADORES-2012Nos pontos corridos, já está mais do que provado que empatar muito não adianta. O próprio técnico da seleção brasileira sofreu deste mal. Na temporada de 2013, o Corinthians, sob o comando de Tite, acumulou nada mais nada menos que 17 igualdades. E aquela sua reta final de passagem pelo time campeão brasileiro em 2011, da Libertadores e Mundial em 2012, ficou conhecida como ‘empatite’.

Este número, inclusive, continua como o recorde de empates nas edições do Campeonato Brasileiro – isso contando desde a disputa dos pontos corridos com 20 times em 2006. A marca de 17 empates já foi atingida em três edições:

2010 – Três times: Botafogo (6° lugar), Ceará (12°) e Flamengo (14°)
2011 – Palmeiras (11°)
2013 – Corinthians (10°)

Veja também o recorde de empates em outras edições do Brasileiro:
2006 – 14 empates – Vasco (6°) e Fortaleza (18°)
2007 – 14 empates – Corinthians (17°)
2008 – 12 empates – São Paulo (1°), Atlético-MG (12°), Santos (14°) e Fluminense (15°)
2009 – 14 empates – Botafogo (15°)
2012 – 15 empates – Portuguesa (16°)
2014 – 12 empates – Corinthians (4°)
2015 – 14 empates – Sport (6°)
2016 – 13 empates – Chapecoense (11°), Coritiba (15°) e Figueirense (18°)
2017 – 14 empates – Fluminense (14°)

O único campeonato que o time campeão teve o maior número de empates foi em 2008. Mas, mesmo assim, na ocasião, o São Paulo acumulou menos igualdades que na edição atual. A campanha tricolor naquele ano foi de 21 vitórias, 12 empates e 5 derrotas, com 75 pontos e 66% de aproveitamento.

Para 2019, além de reforçar o elenco, fica a dica: evitar a mentalidade do empate!

Anúncios

Brasil 20 Copas

28 maio

Exposição interativa no Museu do Futebol dedica um espaço ao assunto do momento no país: Copas do Mundo.

Em cartaz até o dia 7 de setembro, a mostra tem como objetivo apresentar curiosidades sobre a disputa dos Mundiais e como a seleção brasileira conquistou seus 5 títulos e perdeu as demais edições.

Grátis às quintas e aos sábados, a entrada custa R$ 6 (inteira) nos outros dias da semana. A exposição fica em cartaz no Museu do Futebol, localizado na praça Charles Miller, s/n, no estádio do Pacaembu.

Até 13 de julho, data da final da Copa do Mundo, o horário da exposição é das 9h às 21h. Após esta data será das 9h às 17h.

Mônica Saraiva/Divulgação

Mônica Saraiva/Divulgação

Vida tecnológica

27 maio

Na semana passada, o dicionário Merriam-Webster, um dos mais vendidos nos EUA, adicionou 150 novas palavras à sua lista de verbetes.

Entre as selecionadas estavam: selfie, hastag, crowdfunding e big data. Termos surgidos na era da informática, estas novas palavras mostram a força da tecnologia nos dias atuais e em nosso cotidiano.

Eleita a palavra do ano passado pelo dicionário Oxford, ‘selfie’ representa bem a geração dos nativos digitais que utilizam todos os equipamentos disponíveis para registrar os momentos da vida.

Oscar 2014 – Durante a cerimônia de entrega do Oscar deste ano, a apresentadora Ellen DeGeneres reuniu alguns atores para fazer um selfie.

A imagem compartilhada no Twitter tornou-se a foto mais compartilhada na história do microblog com quase 3 milhões de retweets.

Reprodução Twitter @TheEllenShow

Reprodução Twitter @TheEllenShow

Fátima Bernardes e publicidade nativa

20 maio

Ao relatar a palestra sobre o futuro do jornalismo com o editor-executivo da revista ProXXIma, José Saad, expliquei o conceito de publicidade nativa.

Recentemente, o programa “Encontro com Fátima” ancorado pela apresentadora Fátima Bernardes mostrou como um quadro pode se encaixar perfeitamente como exemplo.

A consultora de finanças Denise Hills participa do programa como uma convidada, sendo que o quadro é patrocinado pelo banco Itaú que tem como uma de suas bandeiras a conscientização para o uso correto do crédito.

Como o assunto é foco para discussões, dentro do programa, o bate-papo acaba se tornando natural fazendo da ação da instituição financeira um perfeito casamento entre conteúdo e publicidade.

Valores – Estima-se no mercado publicitário que a ação promocional tenha custado cerca de R$ 8 milhões para o Itaú e esta tendência pode ser ampliada para outros programas tanto da emissora quanto da concorrência.

Sepac: cursos de maio

19 maio

sepac logoLocalizado no bairro da Vila Mariana, o Sepac (Serviço à Pastoral da Comunicação) promove neste mês de maio três atividades sempre das 8h30 às 16h30.

No sábado, 24, acontece a oficina de Web Rádio com dicas de softwares livres e gratuitos para desenvolver trabalhos na internet.

Já no dia 31, sábado, serão duas atividades: o curso de gestão de comunicação em redes sociais com o professor Adriano Miranda e o laboratório de recursos audiovisuais para cursos e palestras.

Todas as atividades tem valor de investimento de R$ 75,00.

Para inscrições e mais informações, acesse o site.

O Sepac fica na rua Dona Inácia Uchôa, 62.

18º Cultura Inglesa Festival

19 maio

18 festival cultura inglesa

Ainda dá tempo. Apesar de já ter começado no último dia 9, o Festival da Cultura Inglesa vai até domingo, dia 25 com muitas atrações por São Paulo.

Destaque para atividades em artes visuais, teatro, gastronomia e música.

Vale a pena entrar no site e conferir a programação.

Tempo escasso

19 maio

despertadorSei que estes posts de falta de tempo vêm se tornando recorrente aqui em nosso espaço e os textos com informações estão rareando.

Mas, são várias as atividades que este blogueiro está envolvido e o tempo anda cada vez mais escasso.

Apesar da correria, reafirmo a vontade de continuar o nosso espaço de debate. Até quando for possível.

Vamos sempre em frente.

Álbum de figurinhas: uma paixão nacional

8 maio

robinho fora da copaFaltando pouco mais de 30 dias para a bola rolar e ainda sob a repercussão da convocação da seleção brasileira para a Copa do Mundo, outra febre toma conta do país do futebol.

O álbum de figurinhas oficial do torneio virou mania entre os apaixonados pelo esporte ou não. Crianças, adultos, homens e mulheres têm cromos com os rostos dos jogadores que entrarão em campo a partir de junho – pelo menos a grande maioria – já que no caso do time brasileiro, o atacante Robinho não foi convocado por Felipão.

Com diversos pontos de troca em vários locais do país, não é difícil encontrar inúmeras pessoas fazendo trocas dos cards em praças, escolas, shoppings e outros locais.

O clima da Copa está no ar e as procura por figurinhas só cresce.

O álbum do signatário deste blog feito em parceria com a Helô Spolador já está completo. E o seu?

O Haiti no Brasil

5 maio

Por Vanessa Vieira

Haitianos no Acre - Foto: Marcello Casal Jr/ABr

Haitianos no Acre – Foto: Marcello Casal Jr/ABr

Milhares de pessoas de países africanos e da Ásia Ocidental abandonam seu país natal em função de problemas econômicos, políticos e de segurança. Países da União Europeia lidam diariamente com imigrantes ilegais. O Brasil está vivendo essa conjuntura no caso dos bolivianos e mais recentemente, na chegada dos haitianos no país sede da Copa do Mundo de 2014.

Há mais de uma década o Haiti vem sofrendo problemas políticos, o que acarretou na intervenção das Nações Unidas e do Brasil em 2004 na tentativa de restaurar a ordem no país. Além das questões civis, problemas como fome e epidemias se agravaram com o terremoto de 2010, cujo epicentro foi a 22 km da capital Porto Príncipe. Esse cenário fez com que os haitianos procurassem recomeçar suas vidas em um novo lugar.

No último mês houve a chegada de cerca de 500 haitianos a São Paulo. Este fato isolado não diria muita coisa, mas expõe a ponta de um iceberg. Um iceberg diplomático de dimensões intra e internacionais.

As dimensões intranacionais do iceberg referem-se ao silêncio do Governo Federal sobre a questão e à discussão entre os Governos de São Paulo e do Acre com relação ao destino desses imigrantes refugiados. O primeiro afirma não ter sido comunicado que receberia estas pessoas e o Acre diz auxiliar os haitianos ao custear sua ida a diversas cidades além de não ter mais condições para lidar com os milhares de haitianos que habitam a cidade de Brasiléia à espera de um destino definitivo.

Quanto ao aspecto internacional, o Brasil já investiu mais de R$ 2 bilhões com a Missão da ONU para Estabilização do Haiti (Minustah) e com o episódio da chegada dos haitianos a São Paulo, demonstrou não ter uma política de ajuda humanitária definida. Com sua economia emergente, sendo carro chefe do Mercosul e sediando a Copa, o Brasil se tornou o “sonho americano” mais acessível aos desamparados da América Latina.

Em tempo de eleições e propagandas partidárias, pergunte ao seu candidato das esferas federal e estadual qual é o plano para tratamento de refugiados. Depois disso, pergunte qual é o plano para os desamparados pátrios. Esse é um tema amplo, que envolve diversas pastas e as respostas certamente contribuirão para sua escolha em outubro.

* Vanessa Vieira é pós-graduanda do curso de Jornalismo Contemporâneo da Universidade Presbiteriana Mackenzie.

Curso de edição de vídeo no Sepac

5 maio

clipart edicaoNeste sábado, 10, o Sepac (Serviço à Pastoral da Comunicação) oferece o curso “Edição de Vídeo”. A atividade acontece das 8h30 às 16h30 e tem valor de investimento de R$ 75,00.

O objetivo da oficina é oferecer ao aluno noções básicas de edição a partir de imagens e roteiros pré-definidos utilizando o software Adobe Premiere CS5.

O Sepac está localizado na rua Dona Inácia Uchoa, 62, Vila Mariana.

Para inscrições e mais informações, acesse o site.