Dossiê Moscou

11 jul

A minha mais recente leitura foi “Dossiê Moscou”, de Geneton Moraes Neto. Presente da Helô Spolador, a obra conta como foi a cobertura do experiente jornalista durante as primeiras eleições diretas na Rússia, em 1996, após o fim da União Soviética.

Acredito que “Coleção Vida de Repórter”, série pela qual o livro foi editada, resuma bem o todo: a obra mostra o passo a passo de Geneton em Moscou e como foi realizado o seu trabalho: desde a escolha das pessoas que apoiaram a sua missão até o encontro com as fontes entrevistadas.

Entrevistados estes que lhe renderam o livro: como a ‘cosmonauta’ que virou deputada linha-dura, o responsável pela ordem de eliminar o dissidente Leon Trostsky e um jornalista do maior jornal da então União Soviética e seus segredos.

A leitura é recomendada para aqueles que buscam entender um pouco mais da Rússia pós-socialismo, como foi a eleição para o segundo mandato de Boris Yeltsin e inúmeros detalhes de uma cobertura jornalística sobre um fato tão importante da história mundial.

Lições – aos jornalistas e aprendizes, o livro traz vários aprendizados, mas um em especial merece destaque: como a influência de um líder pode pautar o que é publicado ou não no jornal do dia seguinte.

Tido como “Guia Genial dos Povos”, Joseph Stalin comandava a União Soviética com mãos de ferro, tanto que a imprensa fazia uma espécie de auto-censura em relação ao ditador.

Entrevistado por Geneton, o velho jornalista Oleg Ignatiev contou uma história tida como inocente nos dias de hoje, mas de suma importância para os responsáveis pelo fechamento do jornal Komsolmolsakaia Pravda à época.

Com a aproximação do aniversário de Stalin, um poema laudatório comparando o líder com uma águia da montanha deixou os jornalistas de cabelo em pé.

A simples dúvida sobre a expectativa de vida da ave, fez com que Ignatiev acordasse um ornitologista altas horas da noite. Após saber que não existe ‘águias da montanha’, o jornal decidiu ‘cortar’ a poesia laudatória, simplesmente para não contrariar a visão superior do líder.

Ao meu ver, a lição apresentada por Geneton neste episódio é que durante as ditaduras, a imprensa acabou sendo usada para disseminar inverdades, não cumprindo assim a sua missão de informar.

Anúncios

Uma resposta to “Dossiê Moscou”

Trackbacks/Pingbacks

  1. Tipo exportação « Leia e Opine - 11/07/2011

    […] “Dossiê Moscou”, o jornalista Geneton Moraes Neto narrou sua história ao chegar à capital russa. Com o visto […]

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: