A emoção do esporte, Inglaterra em festa

14 maio

Por Gabriel Duque

Acostumado a deixar meus alfarrábios aqui pelo blog do meu amigo Rogério aos sábado, hoje venho de forma especial nesta segunda. Se o domingo amanheceu frio e nublado em São Paulo, a rodada esportiva pelo mundo foi quente demais e emocionante. Desde às 9h com o Grande Prêmio da Fórmula 1, que terminou com a vitória inédita do venezuelano Pastor Maldonado, até a partida do título do Manchester City no Campeonato Inglês e ao jogo de despedida de veteranos do Milan.

O esporte, apesar de toda a sua frieza de vez em quando e de todas as armações e politicagens que existem, ainda consegue ultrapassar fronteiras, unir torcedores nas arquibancadas, trazer lições de persistência e garra e sim emocionar.

No automobilismo

Maldonado vence o GP da Espanha

A F-1 está vivendo uma temporada sensacional e, ontem, viu mais uma corrida espetacular, com brigas por posição até a bandeirada final. Para quem tinha a expectativa de ver um ano com os já campeões lutando por vitórias, vem a surpresa trazida pelos jovens talentos. Dos ex-campeões, Hamilton, Button e Vettel lutaram para chegar ao quinto lugar, enquanto Schumacher acertou a traseira do brasileiro Bruno Senna.

Na Sauber, o mexicano Perez e o japonês Kobayashi fazem provas sempre consistentes e o latino já subiu ao pódio no ano, quase disputando a primeira posição com a Ferrari de Alonso. Pelo que ambos mostram e pelo equilíbrio da categoria, não me surpreenderia com uma vitória da equipe suíça.

Além deles e de Grosjean em boa fase na Lotus, Maldonado é o personagem do dia. Com uma pilotagem perfeita e com muita garra, o venezuelano segurou o bicampeão Alonso, dentro da casa do espanhol e na frente da torcida rival. Como prêmio para o triunfo, Pastor foi levantado no pódio pelo ferrarista e por Kimi Raikkonen, outros dois ex-campeões. Prêmio também para o inglês Frank Williams, o chefe da equipe que completou 70 anos no fim de semana.

Na frieza dos números, em cinco etapas chegamos a cinco vencedores diferentes e de cinco equipes distintas: Button (McLaren) na Austrália, Alonso (Ferrari) na Malásia, Rosberg (Mercedes) na China, Vettel (Red Bull) no Bahrein, e Maldonado (Williams) na Espanha. Foi a primeira vitória da Venezuela na categoria (Hugo Chávez deve estar rindo à toa). Foi o 21º país a ganhar na F-1. A Williams voltou a vencer na F-1 após oito anos e novamente com um sul-americano, já que, na última vez, foi com o colombiano Juan Pablo Montoya no GP Brasil de 2004.

Na Premier League

Manchester City campeão inglês

Após a volta de uma vitória na equipe britânica Williams, a Premier League teve uma decisão de título para torcedor nenhum botar defeito. Com a faca e o queijo na mão para voltar a conquistar o Campeonato Inglês depois de 44 anos, o Manchester City saiu na frente com o argentino Zabaleta, mas sofreu a virada e partiu desesperadamente ao ataque. Precisando de dois gols para triunfar e levantar o caneco, os Blues pressionaram, tentaram, insistiram, jogaram com o coração e viram o torcedor se descabelar, mas, quando o revés parecia certo, foram recompesados. Aos 46 minutos do segundo tempo, o bósnio Dzeko empatou de cabeça e, aos 49, o italianio Balotelli, caído, deu a assistência para o gol do argentino Aguero.

A emoção do título foi tanta que os torcedores invadiram o gramado para comemorar o feito. Depois da festa em campo, como verdadeiros lordes os aficionados retornaram aos seus assentos na arquibancada para assistir à também empolgante cerimônia de premiação, com direiro a chuva de champagne de Dzeko no técnico Roberto Mancini. Apesar do investimento milionário vindo do chamado mundo árabe, o City mostrou o verdadeiro valor da torcida e viu festejar o seu elenco estrelar.

Time campeão: Joe Hart, Zabaleta, Kompany, Lescott e Clichy; De Jong, Barry, Yaya Touré e David Silva; Aguero e Tevez. Entraram no jogo Nasri, Balotelli e Dzeko.

No Calccio

O animado domingo continuou na Velha Bota. No entanto, na Itália, o que importaram não foram os resultados, já que o campeonato acabou decidido na semana passada com o título da Juventus. A emoção ficou por conta do Milan, mas não pela sua vitória sobre o Novara por 2 a 1, e sim pela despedida de diversos ídolos do clube rossonero. O atacante Inzaghi, que marcou o tento do triunfo, o zagueiro Nesta e o volante Gattuso fizeram o último jogo de suas carreiras pelo time.

Os três, que escreveram seus nomes na história do Milan com diversas conquistas, abraçaram companheiros ao fim do duelo. Outros dinossauros que devem sacramentar sua saída da equipe são o lateral Zambrotta e o meia Seedorf.

Gattuso, Seedorf e Zambrotta se despedem do Milan

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: