As Avaliações de Desempenho

17 maio

Por Ana Wertheimer*

Faz parte do papel do contratante “vender” sua imagem de uma maneira positiva aos olhos do candidato durante as entrevistas de emprego. Encantar o candidato é um dos facilitadores para que este realmente esteja disposto a sair de sua “zona de conforto” para entrar em uma fase cheia de mudanças.

Entre os benefícios e diferenciais desejados pelos candidatos está a avaliação de desemprenho periódica, com possibilidade de crescimento profissional. As pessoas sentem-se mais satisfeitas ao saber que terão oportunidade de crescimento dentro da nova organização.

Porém, o que muitas vezes não se sabe, é que avaliações de desempenho mal estruturadas podem causar mais malefícios do que benefícios, influenciando inclusive no clima organizacional.

Avaliações mal estruturadas pecam em vários aspectos, pois não possuem critérios, são feitas por obrigação ou às pressas e não definem metas verdadeiras ou palpáveis. Os avaliadores muitas vezes não tem conhecimento das atividades do funcionário avaliado, podendo gerar resultados baseados em opiniões pessoais.

Avaliações assertivas não podem ser subjetivas, elas devem ser baseadas em métricas previamente definidas por uma equipe responsável, o departamento de RH por exemplo. Os avaliadores, por sua vez, devem ser treinados para que tenham conhecimento de cada um dos pontos da avaliação e o que a empresa espera dos funcionários para cada um dos pontos a serem avaliados.

As avaliações mal estruturadas podem desmotivar o funcionário com o tempo. E não me refiro aqui a questões de promoção. Más avaliações não necessariamente implicam em resultados financeiros ruins para o funcionário, mas elas podem, ao invés de aproximar, afastar o indivíduo. Isso acontece porque ele já não acredita na empresa ou nos meios pelo qual ela age, ele já não se vê como parte da organização.

Funcionários desmotivados não se sentem bem, não produzem bem e podem “contaminar” pessoas que trabalham próximas a ele, gerando uma insatisfação que pode ser ou não momentânea.

As avaliações de desempenho são importantes para que o funcionário melhore e, consequentemente, para que a empresa melhore. Mas antes de tudo, é necessário que a empresa esteja pronta para criar suas políticas e métricas de avaliação, porque possuir uma avaliação de desempenho mal estruturada pode ser tão ruim quanto não possuir avaliação alguma.

* Ana Wertheimer é consultora de sistemas e pós-graduanda em Jornalismo Contemporâneo pelo Mackenzie.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: