Tag Archives: Laurentino Gomes

1889

23 set

Autor de dois best-sellers, 1808 e 1822, Laurentino Gomes nos premia agora com o último exemplar da trilogia que conta fatos importantes da História do Brasil: 1889.

capa 1889Com o subtítulo “Como um imperador cansado, um marechal vaidoso e um professor injustiçado contribuíram para o fim da Monarquia e a Proclamação da República no Brasil”, o livro narra todo o processo que levou aos fatos daquele 15 de novembro.

Novamente com uma linguagem clara e objetiva, voltada para o estudante adolescente – nas palavras do próprio escritor – o livro traz dados e informações que ajudam a entender como um sistema tão sólido como o Império Brasileiro – que já durava 67 anos – ruiu sem nenhum esforço em sua defesa.

Voltada para todos os brasileiros, mas principalmente para aqueles que gostam da História do nosso país, a obra é de leitura obrigatória, assim como os demais livros, que juntos, ajudam a decifrar o Brasil tal qual o conhecemos hoje.

Para ver e aprender – Em tempo, Laurentino Gomes foi o entrevistado do programa Roda Viva, da TV Cultura, no dia 09 deste mês. Sempre claro e objetivo, o jornalista fez da conversa um bate-papo bem descontraído sobre História e outros temas.

Quem não viu, pode reservar um pouco do tempo e aprender um pouco mais com esta verdadeira aula magma de História do nosso país.

Veja aqui o primeiro bloco do programa.

Sucesso de vendas – Com uma tiragem inicial de 200 mil exemplares, o livro da Editora Globo tem grande destaque em todas as livrarias por onde este blogueiro passou.

São estantes exclusivas e livros posicionados na entrada das lojas para chamar a atenção do público. Não que seja necessário, pois o material vale cada centavo investido.

 

Anúncios

Cultura em Curso

12 mar

Reconhecido ponto de difusão da cultura, a Livraria Cultura resolveu unir o seu expertise em diversas áreas para proporcionar aos interessados cursos livres que ampliem a formação cultural do indivíduo.

Inicialmente em três filiais da rede em São Paulo: Bourbon Shopping, Market Place e Villa-Lobos, a série de atividades intitulada “Cultura em Curso” reúne oficinas de artes, atualidades, cinema, cultura oriental, cultura africana, gastronomia, geek, história, música, literatura, entre outras.

Destaque para a oficina “1808-1822: a construção da Independência do Brasil”, com o jornalista Laurentino Gomes, autor dos best-sellers 1808 e 1822.

Com preços, horários e condições diferentes para cada atividade, vale a pena conhecer o site e navegar pelas inúmeras opções.

Oceano do tempo

23 out

Um comentário proferido pela professora Martha Gabriel em sua palestra de “Como gerenciar crises em mídias sociais” me levou a uma analogia com o livro 1822, do jornalista Laurentino Gomes.

Certo momento da conversa, Martha afirmou que as novas tecnologias proporcionam a “instantaneidade da comunicação”, ou seja, ao twittar algo uma pessoa compartilha aquela informação com o mundo inteiro em fração de segundos.

Ao ouvir isso, na hora lembrei-me do livro que aquela altura estava na minha mochila. Em 1822, Gomes narra que as informações levavam meses para cruzar o Atlântico a bordo das caravelas e até dias para serem transmitidas de uma cidade a outra.

“… Repetiria a façanha após o Grito do Ipiranga, ao cruzar os cerca de quinhentos quilômetros entre São Paulo e Rio de Janeiro em cinco dias, trajeto que um correio da época fazia normalmente em oito”.

Este paralelo mostra ainda como em pouco mais de 180 anos, as relações de tempo e espaço se modificaram sendo diminuídas drasticamente comprovando cada vez mais a teoria da ‘aldeia global’ de Marshall McLuhan.

1822

20 out

Dei um pulo de 14 anos na história. Li 1822, de Laurentino Gomes, o mesmo autor de 1808. Retrato fiel do Primeiro Renado, o livro mostra como aconteceu o Grito do Ipiranga e a consequente Independência do Brasil.

Mais uma vez o subtítulo da obra chamou minha atenção: “Como um homem sábio, uma princesa triste e um escocês louco por dinheiro ajudaram D. Pedro a criar o Brasil – um país que tinha tudo para dar errado”.

Diante da trajetória do homem que marcou a história de duas nações, a vida de D. Pedro I é pano de fundo para recriar e explicar o panorama político e social que levaram a separação do Brasil de Portugal.

Como todos os fatos históricos, a Independência brasileira foi um processo amplo e complexo com vários antecedentes marcantes como a independência norte-americana e a revolução francesa.

Fruto do liberalismo predominante na época, o processo de separação foi o estopim dos acontecimentos que já agitavam a colônica e a metrópole desde a chegada da corte portuguesa em 1808.

Com detalhes sobre a marquesa de Santos – amante e grande paixão de D. Pedro; José Bonifácio de Andrada e Silva (o homem sábio); a imperatriz Leopoldina (a princesa triste) e Lord Cochrane (o escocês louco por dinheiro), a obra traz ricos dados sobre todo o período.

Ainda no texto, referências a volta de D. João VI a Portugal, a regência de D. Pedro I, a convocação das cortes após a revolução liberal do Porto, em 1820 até a abdicação ao trono, a disputa pelo poder lusitano contra o irmão D. Miguel e a morte em 1834.

Bem escrito, com linguagem clara e objetiva, Laurentino Gomes nos premia com mais uma aula de história do Brasil. São momentos tão importantes que merecem uma obra à altura.

1808

3 fev

 

Desde a época do lançamento de 1808 eu fiquei interessado em lê-lo, mas inúmeros fatores impediram a minha leitura até o momento. Pois bem, semana passada fui até o Centro Cultural São Paulo – na estação Vergueiro do Metrô e escolhi a obra.

O assunto História – neste caso a vinda da família real portuguesa ao Brasil – sempre chamou minha atenção. Confesso que ao ler o subtítulo do livro fiquei ainda mais instigado “Como uma rainha louca, um príncipe medroso e uma corte corrupta enganaram Napoleão e mudaram a história de Portugal e do Brasil”.

É com essas palavras que o jornalista Laurentino Gomes inicia seu texto primoroso. Apesar de denso – são mais de 350 páginas – o livro possui uma linguagem clara e objetiva que prende a atenção do leitor e o insere no Rio de Janeiro do início do século XIX.

O livro – A rainha louca citada na abertura refere-se Maria I, mãe do então príncipe regente D. João VI. Retratado de forma caricata em diversas obras audiovisuais brasileiras como o filme “Carlota Joaquina”, de Carla Camurati e a minissérie “O Quinto dos Infernos” de Carlos Lombardi, o futuro rei de Portugal e do Brasil mostrou-se um verdadeiro estrategista.

Mesmo sendo obrigado a deixar sua pátria para não perder o trono, D. João conseguiu superar aquele descrito pelo escritor francês François René de Chateaubriand como “o mais poderoso sopro de vida humana que já tinha passado pela face da Terra”. O próprio Napoleão Bonaparte que dominou boa parte da Europa durante o início do século XIX se referiu a D.João como “o único que me enganou”.

Narrada de forma bem estruturada e com um ritmo fascinante, a história da corte portuguesa no Brasil mostra costumes e detalhes da sociedade carioca que seria transformada de maneira espetacular durante os treze anos da estadia de D.João e sua família em solo brasileiro.

Uma verdadeira viagem de volta ao nosso passado e uma explicação para diversas questões atuais. Entre elas, a força do Brasil enquanto a maior nação da América Latina e a mistura de raças e cores que dão o tom na aquarela de paisagens deste país tropical.