Tag Archives: metrô

350 anos de Correios no Brasil

28 jan

encontros correio 350 anos

Na sexta, 25, os Correios do Brasil completaram 350 anos. No dia 25 de janeiro de 1663, o alferes João Cavalheiro Cardozo foi nomeado para o cargo de Correio da Capitania do Rio de Janeiro dando início as atividades de serviços postais em nosso país.

Para comemorar a data, o Projeto Encontros realiza uma mostra até o dia 28 de fevereiro nas estações Corinthians-Itaquera, Artur Alvim e Paraíso do metrô de São Paulo.

O caminho da carta Correios 350 anosA exposição na estação Paraíso conta com quatro painéis informativos: o primeiro mostra o caminho de uma carta enviada de Londrina, no Paraná até Londres,na Inglaterra.

O segundo painel conta a história dos Correios no Brasil desde a chegada de Pedro Álvares Cabral e a carta de Pero Vaz de Caminha enviada ao Rei de Portugal, D. Manuel, até a comemoração pelos 350 anos da instituição. Trechos da carta compõem o terceiro painel. Já o quarto painel mostra números da empresa.

Em outro espaço intitulado “Aproximações”, vários fotógrafos foram convidados para mostrar seu olhar sobre a cidade de São Paulo, que também faz aniversário no dia 25 de janeiro.

Linha histórica Correios 350 anosQuem estiver andando pelo metrô de São Paulo poderá acompanhar esta história através dos painéis.

Nos dias 7, 14, 21 e 28 de fevereiro, haverá oficina de customização de cartões-postais na estação Paraíso. Artistas e desenhistas estarão no local das 13h às 14h30 orientando os próprios usuários a customizar e personalizar os seus postais.

Choque de gerações

31 maio

A cena foi presenciada por este blogueiro estes dias no metrô – local de encontro de todas as idades, tribos, anseios e desejos.

De um lado um senhor de cabelos grisalhos lê atentamente as manchetes de seu jornal diário. Bem em frente a ele – e em total contra ponto – um jovem tecla em seu tablet e busca informações na internet.

Nunca antes o passado e o futuro estiveram tão próximos no presente. Separados por poucos centímetros dois mundos – opostos, mas que se completam – convivem na mais perfeita harmonia.

É difícil dizer hoje se os jornais impressos sobreviverão – a crítica recai sobre o conteúdo apresentado. Não há algo novo no jornal da manhã para aqueles que foram dormir e deram uma passada por qualquer portal da internet.

O jornalismo impresso precisa se reinventar, mostrar opções novas para o leitor, desmembrar assuntos, contextualizar ações, para assim fugir da superficialidade do eletrônico.

O surgimento da TV trouxe à tona o possível desaparecimento do rádio, mas este se transformou e segmentou-se.  Cabe agora aos jornalistas atuais e do futuro desenvolverem uma forma de convívio harmônico entre tecnologia e credibilidade caminhando sempre juntos, seja no metrô ou na vida.

*Montagem fotográfica de Gabriel Duque

O Metrô em Sapopemba

8 jan

Localizado na região sudeste da cidade de São Paulo, o Sapopemba fica entre os distritos do São Lucas e São Mateus, na conhecida zona leste da capital. Densamente povoado, o bairro foi fundado oficialmente em 1910 e está longe da malha ferroviária que corta boa parte do município.

No entanto, o Sapopemba vê agora uma nova esperança para melhorar o transporte coletivo na região. Conforme mostra a foto abaixo, as primeiras desapropriações estão sendo realizadas na avenida que dá nome ao bairro para a implantação da extensão da linha 2 – verde do metrô.

Foto de Rogério Santana

A ligação feita através da estação Vila Prudente até o bairro de São Mateus será realizada por um monotrilho, veículo diferente do metrô convencional. Veja abaixo foto do protótipo.

Projeção sobre o Monotrilho da Zona Leste

Apesar de ainda ser um lote de escombros escondidos por tapumes com o logo do metrô, a esperança de melhorias no transporte coletivo já paira no bairro.

Foto Rogério Santana

Atualizado em 15/02/2011 às 11:43

Em tempo, o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, anunciou o prolongamento da obra até o ponto fotografado. Mais informações aqui.

Segue o fluxo

30 set

Assim dizia uma moça ao lado da amiga na conexão entre as linhas 2-Verde e 4-Amarela do metrô de São Paulo, na Consolação. Desde a ampliação do horário de funcionamento das estações Luz e República, a mais nova linha do sistema viu seu número de passageiros aumentar consideravelmente.

É bem verdade que há muitos pontos positivos a serem retratados, como a boa vontade dos funcionários ao auxiliar os usuários organizando filas e alterando o fluxo das intermináveis filas.

Novamente a inauguração da linha e a criação de alternativas para o deslocamento da cidade comprovam a importância do sistema metroviário em São Paulo. Será que só nossas autoridades não percebem a necessidade de ampliação cada vez maior?

Concordo que ainda há muito a ser mudado e implantado, mas a recente iniciativa do governo do estado em colocar a linha para funcionar em seu estado normal é um fato a ser destacado em nosso espaço.

Onde o popular e o clássico se encontram

12 ago

Há algum tempo havia pensado em escrever sobre o Projeto “Encontros” na estação Paraíso do metrô. Destinado a propagação cultural, o local tem diversas performances artísticas, principalmente no horário do rush.

Vale lembrar que desde a expansão da linha 2 verde, aumentou o número de passageiros circulando pela estação, chegando a média de 300 mil pessoas por dia.

Como forma de entretenimento para os usuários que aguardam melhores condições para embarque, o “Encontros” promove variadas opções de lazer desde música até exibição de filmes.

Ontem, no entanto, os acordes de música clássica me chamaram a atenção. Ao me dirigir ao palco de apresentações vi tratar-se de um espetáculo de balé clássico.

Para minha surpresa, o público assistia encantado a performance da jovem bailarina. Após a apresentação, a coordenadora da ação falou sobre o talento brasileiro para a dança. Ao fim, o público aplaudiu e reverenciou, surgindo assim a ideia para este texto.

Em um local onde passam diariamente milhares de pessoas, de todas as classes, raças e credos uma atividade vista como ‘elitista’ encanta a todos. Muitos trabalhadores voltando para casa após um longo dia de labuta também prestigiam o espetáculo.

Assim como expressa o título, por um momento o clássico e o popular deram as mãos e cumpriram uma missão: unir públicos distintos.

Em tempo, este nome para o texto já foi utilizado para intitular um release divulgando um show de uma dupla sertaneja em um teatro. Mais uma demostração do meu lado assessor.

Prioridades

9 ago

Hoje li a reportagem “Político Apolítico” da edição 58 da revista Piauí sobre o prefeito de São Paulo Gilberto Kassab. Uma boa fonte para quem busca mais informações sobre o perfil do fundador do PSD.

A ampla matéria feita por Plínio Fraga mostra como Kassab concilia a vida pessoal com o trabalho de administrar uma cidade do tamanho da capital paulista e seus mais de 11 milhões de habitantes.

Questão de ordem? – Ao comentar sobre o Climate Leadership Group – grupo dos quarenta prefeitos das maiores cidades do mundo, conhecido como C-40 – que se reuniram em São Paulo no mês de junho, o repórter falou das iniciativas tomadas pelos representantes da localidades para buscar melhorias na vida da população.

Curiosamente, o fato que mais me chamou a atenção na reportagem foi justamente o final. Após narrar a ida de Kassab à cidade vizinha de São Bernardo do Campo – utilizando um helicóptero – Plínio Fraga encerra a matéria relatando que “durante o encontro com os quarenta prefeitos, [Michael] Bloomberg [prefeito de Nova York] disse que vai trabalhar de metrô. A vice-prefeita de Paris, Anne Hidalgo, falou que prefere ir de bicicleta”.

Ou seja, ficar mais de duas horas no trânsito paulistano parece ser uma perspectiva para os meros mortais – que ainda sonham com um transporte coletivo de qualidade e condições básicas para implementação de ciclovias.

Inexplicável

1 jul

Hoje, eu e a Helô Spolador fomos fazer um passeio típico de paulistano. Ao menos para um ex-bicho do mato como o signatário deste blog.

Desde quarta-feira, 29, a linha 4 do metrô – amarela – ampliou o horário de funcionamento das estações. Agora a ligação entre a Av. Paulista e o Butantã pode ser feita de segunda a sexta-feira, das 4h40 às 21h00.

Após ficar impressionado com a modernidade dos trens e estações, outro fato me chamou a atenção. Por que tamanha demora na expansão da malha metroviária da cidade de São Paulo, sendo o metrô o meio de transporte mais ágil e eficiente?

Uma megalópole como a nossa precisa de linhas em todos os locais e não apenas os pouco mais dos 70 quilômetros existentes. Outra pergunta pertinente: por que adiar tanto o horário de funcionamento, sendo que muitas pessoas utilizam o sistema?

Nesta sexta-feira, durante o horário de pico a estação Paulista estava completamente cheia e o percurso sendo feito por milhares de pessoas. Espero que as inaugurações das futuras interligações com as paradas Luz e República saíam logo do papel. Para o bem da população.

Futuro – Com portas de proteção para os usuários nas plataformas, trens com passagens entre os vagões e esteiras rolantes entre as estações Consolação e Paulista, a linha 4 é a mais moderna do metrô paulistano.

Anos-luz de distância – literalmente

12 abr

Nosso amigo Gabriel Duque está quase assumindo a vaga de pauteiro de nosso espaço. Explico, na semana passada ele leu uma matéria interessante sobre o Metrô e compartilhou com o signatário deste blog. Fui atrás de informações extras e eis o post.

Com número de habitantes similares, as cidades de São Paulo e Londres tem nos sistemas de transporte coletivo dados a serem analisados.

No entanto, enquanto a capital paulista e sua população superior a 11 milhões de pessoas contam com 64 estações de metrô divididas em cinco linhas, os pouco mais de 10 milhões de londrinos tem à sua disposição nada menos que 270 paradas em 11 traçados.

E os números destoantes não param por aí. A começar pelo início das operações. Enquanto o Tube começou a circular ainda no século XIX – mais precisamente em 1863 – só em 1974, os paulistanos puderam usar o Metrô.

Acredito que uma comparação entre os sistemas seja injusta, uma vez que o Brasil e Inglaterra possuem imensas diferenças culturais e sociais. No entanto, a maior cidade do país não pode basear a locomoção das pessoas apenas nos automóveis. É clara a iniciativa de investimento no Metrô, mas isso deve acontecer de forma sistemática e urgente.

Em grande estilo

21 mar

 Bem, este texto era para ter ido ao ar no final de semana, mas como a gente tenta viver, deixemos para depois o ofício de escrever. Após a melhor notícia dos últimos tempos, o prolongamento do horário de funcionamento das estações Tamanduateí e Vila Prudente do metrô de São Paulo, decidi fazer algumas despedidas.

Explico: como o meu horário de trabalho não coincidia com o fim da chamada operação assistida, ainda utilizava o sistema de ônibus para chegar em casa. Ou seja, ora ia até a estação Alto do Ipiranga, ora descia na estação Sacomã.

Fui o que fiz na última sexta-feira. Desembarquei no Sacomã e me dirigi ao Expresso Tiradentes – nome oficial do eterno Fura-Fila. Após verificar que o embarque rumo à Vila Prudente na estação C.A. Do Ypiranga estava impossível, decidi prolongar viagem até a parada final no Parque D. Pedro.

Como estava chovendo, a cidade logicamente estava um caos e o sistema de transporte parado. Foi então, que após vinte minutos de espera, consegui embarcar no ônibus rumo à Vila Prudente, onde finalmente peguei a condução até em casa.

Este relato de desabafo na verdade é uma despedida. Adeus Fura-Fila – que durante muitos anos foi muito útil – adeus estação Sacomã, pois agora para a minha alegria e de muitas pessoas que conheço: o metrô finalmente chegou à Vila Prudente.

Agora sim

17 mar

A partir deste sábado, 19, as estações Tamanduateí e Vila Prudente do Metrô de São Paulo terão o horário de funcionamento estendido. Atualmente as paradas abrem às 8h00 da manhã e fecham às 17h00.

Mas, já neste final de semana passarão a funcionar das 4h40 até às 21h. O novo horário ainda não é o mesmo das demais estações do sistema – que funcionam até às 0h.

O prolongamento do horário beneficiará os moradores da zona leste da capital paulista – entre eles o signatário deste blog – que poderão embarcar na linha 2-Verde sem precisar fazer baldeação nas estações Sé e Paraíso.